Memorial dos Governadores

Repleto de histórias fascinantes a antiga sede do Governo do Estado abriga um museu de grande valia para o Brasil. O Memorial dos Governadores Republicanos da Bahia foi inaugurado em 18 de setembro de 1986, nas dependências do Palácio Rio Branco, um monumento que nasceu junto com a primeira capital do país e carrega uma história cheia de curiosidades e belezas e que sediou durante 60 anos o centro das decisões do Governo Estadual. Está subordinado à Fundação Pedro Calmon – Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia.

Foi Tomé de Sousa quem deu a ordem para a construção do primeiro projeto do lugar, que abrigaria a sede do governo português. Ele serviria como um centro de comando, residência e despacho oficial dos grandes poderes. Recebeu membros da realeza portuguesa, o Imperador D. Pedro I e a Imperatriz Leopoldina, e o Imperador D. Pedro II e a Imperatriz D. Tereza Christina.

O Memorial é um espaço aberto à reflexão, sobretudo ao transito de saberes e trocas possíveis nas dinâmicas de museus e memoriais e, essencialmente, à construção do conhecimento a partir do passado por meio da memória – apropriação e ressignificação que se atualiza cotidianamente. Seu modelo narrativo expressa o interesse em estabelecer um dialogo permanente com o visitante acerca da importância da memória coletiva, na construção da identidade nacional brasileira.

Acervo

A composição do acervo do Memorial dos Governadores Republicanos da Bahia é eclético com aproximadamente 2.000 artefatos/documentos. No acervo encontram-se objetos pessoais, louças, espadas, cristais, jornais, livros, fardamentos, títulos, medalhas e honrarias. O acervo está classificado em sub-coleções representativas, a partir da funcionalidade/especificidade das peças: objetos pessoais; insígnias; comunicação; interiores; objetos pecuniários; artes visuais.

Atualmente a exposição de longa duração esta dividida em dois períodos: República Velha e República Nova. O Memorial dos Governadores Republicanos da Bahia abriga coleções constituídas a partir da doação de objetos e documentos da vida privada, cotidiana, profissional e governamental que pertenceram aos Governadores do Estado da Bahia. Nestes bens estão presentes os pensamentos, atos, desejos, interesses, que expressam a complexidade através da qual a história se materializa. Integra a Coleção do Memorial uma pinacoteca composta por 47 retratos, pintados à mão, de governadores republicanos.

O acervo do Memorial dos Governadores Republicanos da Bahia possibilita a preservação de nossa memória e permite aos visitantes, pesquisadores e curiosos conhecer os bastidores do cotidiano político, econômico, social e cultural, de períodos que contribuíram para a formação e reflexão da sociedade atual, de uma perspectiva muito específica: do gabinete dos governadores. 


Atividades

O espaço, além de ser aberto à visitação no primeiro piso, tem uma das vistas mais especiais da cidade. Realiza Mediação Cultural e visitas guiadas com escolas e grupos de turistas e exposições temporárias em paralelo com a sua exposição de longa duração que em sua maioria dialogam com a vocação do memorial ou com sua temática. 

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Horário de funcionamento: Seg a sex 10h às 18h e Sáb 9h às 13h

Endereço: Praça Municipal Palácio Rio Branco, s/n, Salvador, BA

Fotos: Ipac e Folha

Telefone: (71) 3116-6928